II Encontro CAtólica REsearch debate Comunicação de Ciência e Cultura

Presidente da FCT e Maria da Graça Carvalho elogiam alinhamento da investigação da Universidade com políticas científicas nacionais e europeias.

 

Mais de 120 investigadores das 15 unidades de Investigação e Desenvolvimento (I&D) da Universidade Católica Portuguesa participaram na segunda edição do CAtólica REsearch – CARE, que se realizou a 27 de março no polo do Porto. Com o mote “Comunicação de Ciência e Cultura”, o encontro ficou marcado pelo debate sobre a necessidade e a importância em comunicar a qualidade da investigação realizada na Universidade.

No encontro, que contou com a presença de Isabel Capeloa Gil, Reitora da Universidade Católica Portuguesa, e de Maria da Graça Carvalho, da Comissão Europeia, foi debatido o papel que a Europa ocupa na construção de conhecimento científico de valor acrescentado. De acordo com Maria da Graça Carvalho, a Universidade Católica Portuguesa encontra-se “muito bem posicionada neste campo”, estando em linha com os objetivos da Comissão Europeia que apresenta uma “política consistente e ambiciosa relativa à ciência”.

A sessão “Comunicação de Cultura e Ciência”, moderada por Célia Manaia, investigadora da Escola Superior de Biotecnologia, contou com um painel composto por Fátima Dias e Emanuel Carvalho do British Council e da FameLab, por Ana Noronha da Ciência Viva, Eduardo Cintra Torres da Faculdade de Ciências Humanas da UCP, João Vasconcelos do Canal 180 e pelo maestro Rui Massena. Neste painel foram debatidos os principais desafios da comunicação de ciência e foi reiterada a importância de a sociedade perceber o porquê de o conhecimento científico ser tão importante, já que se apresenta como um fator crítico para decisões conscientes e acertadas no quotidiano comum.

“A ciência não é concluída enquanto não for comunicada”

Durante a tarde, o encontro integrou um momento “zapping”, onde foram apresentadas em estilo de elevator pitch os mais recentes projetos de investigação das unidades de I&D da Universidade Católica Portuguesa. A este nível, destaque-se que a Universidade tem mais de mil investigadores envolvidos em projetos de investigação em áreas tão distintas – e complementares – como as Artes, a Biotecnologia, as Ciências Sociais, a Ciência Política, a Economia, a Educação e Psicologia, entre outras. (mais informação sobre os projetos apresentados disponível aqui)

Investimento em ciência beneficia a sociedade

Na sua intervenção ao final da tarde Paulo Ferrão, presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), deu os parabéns à Universidade pela iniciativa e reiterou que é importante ter uma abordagem holística da ciência, acrescentando, ainda, que “o investimento em ciência beneficia a sociedade e que a instituição tem tido um papel importantíssimo na criação e disseminação do conhecimento científico.”

A fechar a segunda edição do CARE, Luís Gustavo Martins, Vice-Reitor da Universidade Católica Portuguesa, destacou que “o futuro da investigação da instituição é promissor”. Para o responsável, o caminho traçado pelos centros de I&D da Universidade está alinhado com os principais compromissos da instituição, já que é, também, pautado por uma visão humanista e empenhada em contribuir para o conhecimento e bem-estar da sociedade.

Temas e Apresentações