Condições de Acesso

Condições de Acesso às Licenciaturas e Mestrados Integrados da UCP:

- Requisitos gerais de acesso ao ensino superior público;
- Titulares de um curso secundário ou de habilitação legalmente equivalente;
- Realização da(s) prova(s) de ingresso - exames nacionais do ensino secundário - escolhidas pela Universidade de entre o elenco disponível de acordo com as características de cada curso de licenciatura ou mestrado integrado.


Provas de Ingresso 

Os candidatos podem apresentar provas de ingresso realizadas no ano de candidatura ou nos dois anos imediatamente anteriores (2018, 2017, 2016).

 

Notas Mínimas:

Nota mínima de candidatura de 100 pontos (0 a 200), exceto:

- Administração e Gestão de Empresas (Lisboa) - 120 pontos

- Economia (Lisboa) - 120 pontos

- International Undergraduate Program in Business Administration (Lisboa) - 150 pontos

- International Undergraduate Program in Economics & Finance (Lisboa) - 150 pontos

 

Nota mínima nas provas de ingresso: 95 pontos (0 a 200)

 

Licenciaturas com Pré-Requisito

- Licenciatura em Direito (Porto): tem um pré-requisito de aptidão vocacional que reveste a forma de uma prova escrita organizada pela UCP;
- Licenciatura em Som e Imagem (Porto): entrevista e entrega de portefólio, se aplicável;
- International Undergraduate Programs (Lisboa): carta de motivação, CV, certificado de inglês e entrevista, se aplicável;
- Licenciatura em Enfermagem (Lisboa e Porto): comunicação interpessoal (Grupo A) cuja forma de comprovação é um atestado médico emitido nos termos do regulamento publicado como anexo III da Deliberação da CNAES nº 202/2012, de 16/02;
- Licenciatura em Medicina Dentária (Viseu): comunicação interpessoal (Grupo B) cuja forma de comprovação é um atestado médico, nos termos do anexo IV da Deliberação da CNAES nº 202/2012, de 16/02, comprovativo que satisfaz o pré-requisito.


Para o curso de Som e Imagem (Porto) e International Undergraduate Programs (Lisboa), a classificação do pré-requisito é incluída no cálculo da nota de candidatura com um peso de 15%, sendo atribuídos 50% à classificação final do curso do ensino secundário e 35% à classificação da prova de ingresso.

 

Mudança de Par Instituição/Curso

(Ato pelo qual um estudante se matricula e/ou inscreve em par instituição/curso diferente daquele(s) em que, em anos letivos anteriores , realizou uma inscrição - Portaria nº181-D/2015 de 19 de junho).

a) Tenham estado matriculados e inscritos noutro par instituição/curso e não o tenham concluído;

b) Tenham realizado os exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas pela Universidade Católica Portuguesa para o ano em que pedem a Mudança de Par Instituição/Curso (estes exames nacionais podem ter sido realizados em qualquer ano letivo anterior);

c) Tenham, nesses exames, a classificação mínima exigida pela Universidade Católica Portuguesa, nesse ano. Este regime de mudança de par instituição/curso aplica-se igualmente aos estudantes que tenham estado matriculados e inscritos em instituição de ensino superior estrangeira em curso definido como superior pela legislação do país em causa, e não o tenham concluído.

A mudança para o curso para o qual sejam exigidos pré-requisitos ou aptidões vocacionais específicas está condicionada à satisfação dos mesmos.

 

Candidatos titulares de cursos do ensino secundário estrangeiro:

Para os candidatos titulares de cursos de ensino secundários estrangeiros, obtidos em Portugal ou no estrangeiro, e legalmente equivalentes ao ensino secundário português, são admitidos, como provas de ingresso, exames finais de disciplinas terminais dos respectivos cursos, análogas às disciplinas do ensino português.

O cálculo da nota de candidatura baseia-se nas correspondentes classificações finais do curso secundário estrangeiro e das disciplinas terminais.

Para mais informações sobre equivalências deverá consultar o website da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES).

 

Cálculo da nota de candidatura:

A classificação final do curso de ensino secundário e a da(s) prova(s) de ingresso permitem calcular a nota de candidatura. A nota de candidatura (exceto Som e Imagem e International Undergraduate Programs) é calculada de acordo com a seguinte fórmula:

Classificação final do curso do ensino secundário ou habilitação legalmente equivalente: 60%
Classificação da ou das provas de ingresso (no caso de 2 provas, 20% cada): 40%

 

Exemplo de cálculo de nota de candidatura (para um curso em que as provas de ingresso são Português e História):

O candidato A obteve a classificação final de 130 no ensino secundário, 150 no exame nacional da disciplina de Português e 120 no exame nacional da disciplina de História.
Para obter a nota de candidatura multiplicam-se as notas pelo respetivo peso, isto é:
130x0,6 (130=60%);
150x0,2 (150=20%);
120x0,2 (120=20%),
o que dá, respetivamente,
78; 30; 24.
Somando estes resultados obtém-se a nota de candidatura:
78+30+24=132
 

Som e Imagem e International Undergraduate Programs:

Classificação final do curso do ensino secundário ou habilitação legalmente equivalente: 50%

Classificação da ou das provas de ingresso: 35%

Classificação do Pré-Requisito: 15%