Segunda I

Segunda I

Pai Nosso, Senhor do Universo,
nós vivemos hoje no meio de tanta diversidade,
sentimo-nos fragmentados.
Uns pensam de uma maneira, outros de outra.
Às vezes, até congemino que eu penso,
mas os outros não pensam...
Mas tanta diversidade confunde-me.
Parece-me não saber em quem confiar.

Tu, que és Pai de todos, sem distinção,
bem podias partilhar comigo da tua amplitude
para caminhar, com alegria e redobrada confiança, para o Natal,
como quem vê diante dos olhos
um monte pleno de luz, de paz, de fraternidade,
para o qual dão passos todos os povos,
todas as religiões, todos os seres humanos,
por tão diferentes caminhos.

Preciso de fortalecer a fé
para, com o Teu Filho Jesus,
forjar arados semeadores de paz.